Empresa indiana anuncia investimento de R$ 7 milhões em Bagé

January 09 2019

A Sterlite Power Brasil, subsidiária do conglomerado industrial com sede em Mumbai, Índia, foi vencedora de leilão promovido pelo governo federal para instalação de quatro subestações e 114,4 quilômetros de linhas de transmissão de energia nos municípios de Bagé, Candiota, Garibaldi e Lajeado. O investimento total da Sterlite Power alcança R$ 400 milhões no Estado e recolhimento direto de impostos estimado em R$ 10 milhões.
 
De acordo com comunicado da Sterlite Power Brasil, emitido com exclusividade para o jornal Folha do Sul, somente a expansão da subestação de Bagé terá investimento de R$ 7 milhões e a abertura de novos postos de trabalho, cujas vagas poderão ser divulgadas em breve. A subestação em Bagé faz parte do projeto Vineyards, que engloba 114,4 km de linhas de transmissão de energia, a implantação de duas novas subestações (Lajeado 3 e Vinhedos) e a expansão de quatro subestações (Bagé 2, Candiota, Lajeado 2 e Garibaldi) na região Sul.  A capacidade de transmissão de energia do projeto é de 230 kV, incluindo a subestação de Bagé. A Sterlite Power também é responsável pela construção das linhas de transmissão de energia, especificamente, uma nova linha de transmissão de 230 kV, com cerca de 50 km, que conectará duas subestações existentes em Bagé e Candiota, além do trabalho de expansão. A geração e transmissão de energia serão mantidas pelas atuais concessionárias presentes na região.
 
Empregos

Além do investimento, a Sterlite Power ressaltou que o projeto tem uma expectativa de mobilizar 700 postos de trabalho, incluídos os quatro municípios onde a empresa terá presença garantida. Em Lajeado, foi celebrado o começo das obras do projeto Vineyards, no dia 3 de dezembro. Na ocasião, conforme divulgado pela revista Amanhã, o presidente da subsidiária brasileira da Sterlite Power, Rui Chammas, declarou estar motivado. “É uma honra poder trabalhar com nossos parceiros para o desenvolvimento da região, ampliando a capacidade de transmissão de energia”, argumentou.
 
Para o Folha do Sul, a representação brasileira da Sterlite Power ressaltou: “Esse é o segundo projeto que está em fase de obras no Brasil de um total de nove concessões que a companhia conquistou em leilões públicos organizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), sendo que todos os outros projetos se encontram absolutamente dentro dos prazos previstos. Queremos concluir essa e outras obras antecipando prazos e sempre reforçando nosso principal propósito que é empoderar a humanidade enfrentando os maiores desafios no acesso à energia, ajudando na geração de negócios de forma ética e transparente. Na subestação de Bagé, as obras iniciarão assim que todas as licenças forem obtidas, o que acreditamos que deve ocorrer em breve”, informou a empresa.
 
De acordo com entrevista concedida ao portal G1, o presidente do grupo, Pratik Agarwal, afirmou: "Escolhemos o Brasil como nosso primeiro mercado de investimentos fora da Índia pelo tamanho da oportunidade no país e pela necessidade de capital privado no setor de transmissões". Os investimentos existentes poderão ser ampliados, caso a Sterlite Power participe e vença as concessões para instalação de mais três empreendimentos que estarão em disputa no leilão de energia, promovido pela Aneel, previsto para acontecer no dia 20 de dezembro; onde serão leiloadas concessões para três trechos de linhas de transmissão, em Bagé e Candiota.

Avaliação 

Conforme parecer da Sterlite Power, em relação aos empreendimentos, o projeto Vineyards é de extrema importância para a região Sul e todos os 10 municípios beneficiados. "Uma vez prontas, nossas linhas de transmissão e subestações integrarão o sistema nacional, reforçando sua robustez, como previsto pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e estudos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE)'', destacou o comunicado. Para a Sterlite Power, um dos valores fundamentais é o impacto social. ''Isso significa que existe a preocupação genuína de gerar impacto social positivo nas comunidades, trabalhando com talentos e parceiros locais para garantir resultados mais rápidos, eficazes e duradouros. Isso ajudará a criar empregos, impulsionar as economias e contribuir com as receitas municipais e estaduais, fortalecendo o Rio Grande do Sul", informou a nota.

Leia Mais : FOLHA DOSUL